Livro Em Foco

Lei 13.432/17: Itacir Flores lança livro sobre a profissão de detetive

Da redação - Justiça Em Foco - por Ana Menezes / Mario Benisti. - segunda, 12 de março de 2018
 

BRASÍLIA - Em breve, será apresentado para os amantes da investigação e interessados em aprender sobre, como é o dia a dia de um detetive particular profissional, um livro que conta a história de luta dos detetives brasileiros nos últimos tempos.

Da autoria de Itacir Flores, renomado especialista na área de investigação no Brasil, a obra conta todo o processo de regulamentação da profissão de detetive particular. Após longa tramitação no Congresso Nacional, hoje a profissão de detetive particular é reconhecida por lei Nº 13.432/2017. Após iniciativa do deputado Ronaldo Nogueira em busca de regulamentar a atuação de detetive, o projeto de lei foi sancionado, e entrou em vigor em 2017. 

Para o autor do livro, o material apresenta “a luta que pretende resgatar a dignidade da classe dos detetives particulares, tendo como base a lei que vigora sobre o trabalho de detetive particular pelo Brasil”, enfatiza Itacir Flores.


A previsão de lançamento do material é ainda este mês.

Sobre Itacir Amauri Flores

É natural de Florida Distrito de Santiago RS, tem 60 anos de idade e foi agraciado com o Título de Cidadão Portoalegrense conforme a Lei Municipal 12.214 de 31 de janeiro de 2017. Bacharel em Ciências jurídicas, Bacharel em Segurança Pública, Jornalista, Vice-presidente e Vogal da JUCIS RS – Junta Comercial, Industrial e Serviços do Rio Grande do Sul, Oficial Superior da Brigada Militar com curso de aperfeiçoamento em Gerenciamento em local de desastre, serviu na PE - Polícia do Exército Brasileiro, atuou na Casa Militar e Defesa Civil do RS, Sócio efetivo da ARI – Associação Riograndense de Imprensa, Pós Graduado em Direito comercial, MBA em Executivo em Segurança Privada – Safety & Security, escritor com diversos artigos publicados, Debatedor nacional sobre a inconstitucionalidade do Exame de Ordem da OAB, motivador da tramitação no Congresso Nacional do PL 1211/11, que originou a Lei Federal 13.432/17, que reconheceu a profissão de Detetive Particular no Brasil, Mestre Maçom, Rotariano, Leonino e Escotista (fundador do GE Jaguar Feroz na cidade de Jaguari RS e GE Guardiões da Fronteira na cidade de São Borja RS), ativista político, foi 1º suplente de vereador em Santiago RS, foi Diretor de Atividades Complementares, Coordenador de Bancada e da Mesa Legislativa da Câmara Municipal de Porto Alegre RS, Condecorado com as medalhas de 10 e 20 anos de excelentes serviços ao Estado do RS e Medalha da Defesa Civil pelos relevantes serviços prestados ao povo rio-grandense.