Destaque da Redação

Mãos à palmatória: Painel do Portal Metrópoles estava totalmente regular, diz documento da Agefis

Por Carla Castro e Mário Benisti (Justiça Em Foco). - sábado, 09 de junho de 2018
 

Após uma semana da ação, que retirou o Painel do Portal Metrópoles, comandada por Rodrigo Rollemberg, o Grupo de Comunicação foi notificado, ontem (08), sobre a regularidade da documentação. Publicamos a reportagem intitulada “‘General Rodrigo Rollemberg’ tenta censurar o Portal Metrópoles”, sobre a ação do GDF.   

No documento entregue ao Metrópoles, pela Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis), endossa o erro da autarquia subordinada ao GDF, declarando a seguinte frase: “Conheço a impugnação para dar-lhe provimento, portanto, decido anular o auto de notificação, considerando que o meio de publicidade possui o devido licenciamento”, diz o documento recebido pelo Portal Metrópoles. O Grupo Metrópoles já vem mostrando ao longo dos últimos dias que há uma série de irregularidades na ordem de retirada do painel eletrônico, algo que fica comprovado após a notificação recebida pelo portal de notícias. 

Cada vez fica mais evidente que o governo usufrui da máquina pública para silenciar todos os contrários à sua administração.  Na tentativa de se justificar, o GDF emitiu uma nota no último sábado (02), afirmando que “o principal objetivo da operação é o de preservar a cidade e impedir que a ilegalidade vigore”, diz a nota oficial. Mas vale ressaltar que o aparelho eletrônico do Metrópoles, de 253 metros quadrados, teve total autorização desde dezembro de 2017 para funcionamento, de acordo com documentos apresentados pelo portal de notícias. 

Instabilidade na Agefis 

O Metrópoles vem investigando detalhadamente o procedimento para a retirada do painel, e cada vez fica mais evidente a tentativa de censura por parte de Rollemberg. Auditores da agência de fiscalização apresentaram provas de que a Agefis forjou documentos na tentativa de explicar a retirada do informativo eletrônico. 

Com toda essa atrapalhada do GDF, comandada pelo governador Rodrigo Rollemberg, fica a seguinte dúvida: qual será o rumo da administração do DF, uma vez que o governador está totalmente perdido nos trabalhos? Quem vai pagar por toda essa ação irregular, que houve uso de dinheiro do GDF? É mais uma conta para o cidadão brasiliense pagar. 

E os prejuízos, do Portal Metrópoles, com essa ação [que não merece ser o responsável pelas ineficiências de Rodrigo Rollemberg], serão  pagos com dinheiro de quem? Fica para os nossos leitores uma série de indagações sobre um governo que deixa de se preocupar com saúde, educação e segurança para cuidar de sua imagem pessoal na tentativa de censurar a imprensa. 
 

redacao@justicaemfoco.com.br