14 de Jun de 2023

Jogos eletrônicos

O empresário caxiense Yan Pellizzari apresentou à ministra Sônia Guajajara um projeto de desenvolvimento de jogos eletrônicos com o objetivo de educar a geração Z para a preservação de nossa sociobiodiversidade e o reconhecimento da importância dos povos indígenas na defesa das florestas.

Em reunião articulada pela deputada federal Denise Pessôa (PT/RS) e pelo vereador de Caxias do Sul Lucas Caregnato (PT) nesta quarta-feira (14.JUNHO.2023), o empresário de games caxiense Yan Pellizzari apresentou à ministra Sônia Guajajara um projeto de desenvolvimento de jogos eletrônicos educativos que têm a finalidade de educar a geração Z a respeito da necessidade de preservação da nossa sociobiodiversidade brasileira. Os jogos devem refletir aspectos culturais e linguísticos de alguns povos originários do Brasil, bem como representar graficamente as florestas, a constituição de aldeias, hábitos e aspectos específicos de cada povo. 

A deputada federal Denise Pessôa comenta a importância de aliar plataformas que já chamam a atenção das crianças, adolescentes e jovens ao conhecimento de nossa cultura brasileira. “Eu mesma tenho um filho de 5 anos que, se deixar, fica horas jogando esses joguinhos. Trazer uma perspectiva educativa, de contato com a cultura brasileira originária contada por povos historicamente oprimidos, é aproveitar uma ferramenta que já atrai os pequenos para que eles recebam, desde cedo, informações que os ajudem a reconstruir nosso futuro em uma perspectiva de paz e preservação da natureza”, comenta a deputada Denise.

A ideia foi bem recebida pela ministra, que comentou serem necessárias formas mais atuais de comunicação para alcançar a juventude e se colocou à disposição de estabelecer uma parceria com o empresário Yan, a deputada federal Denise Pessôa e o vereador Lucas Caregnato. “Nada sobre os povos indígenas sem os povos indígenas. Eu mesmo não sei muito sobre os povos e gostaria de saber. O que aprendemos na escola não representa a realidade”, comenta Yan, que propõe a distribuição dos recursos provenientes dos jogos a institutos, associações, ONGs a serem indicadas pelo Ministério dos Povos Indígenas.

Os próximos passos para que o projeto saia do papel envolvem estudos pedagógicos e antropológicos, bem como a escolha e o mapeamento de alguns povos originários a serem feitos pelo Ministério dos Povos Indígenas para elaboração de um jogo piloto. Yan também apresentou estatuetas de avatares de alguns representantes da causa indígena como a ministra Sônia, a deputada federal Célia Xakriabá e a ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima Marina Silva, que foram impressas em impressora 3D e coloridas à mão artesanalmente por ele mesmo. A ministra Sônia adorou o presente e demonstrou alegria com a possibilidade de recontar a história do Brasil a partir do olhar indígena em jogos eletrônicos.

(Foto: Luz Dorneles)

Ronaldo Nóbrega, colunista do "Poder em Foco", experiência de mais de 25 anos como jornalista e memorialista. Em sua trajetória profissional, atuou como consultor no TSE por 12 anos, representando um partido político. Entre suas contribuições, destaca-se a Consulta 1.185/2005, que questionou a aplicabilidade da Regra da Verticalização. Esse questionamento iniciou um intenso debate entre o Judiciário e o Congresso Nacional, culminando na Emenda Constitucional nº 52/2006. A emenda proporcionou maior autonomia aos partidos políticos ao eliminar a obrigatoriedade de vinculação entre as candidaturas. Sua influência nesse debate é reconhecida e mencionada na 27ª edição da obra "Direito Constitucional Esquematizado", escrita por Pedro Lenza e publicada pela Editora Saraiva em 2023.