Poder Judiciário

Decretada prisão preventiva de acusado de arremessar coquetéis molotov em produtora

Da Redação com informações do TJRJ. - segunda, 21 de setembro de 2020
 

A Justiça do Rio de Janeiro recebeu a denúncia oferecida pelo Ministério Público do Estado contra E.F., acusado de, juntamente com outras pessoas ainda não identificadas, arremessar coquetéis molotov para dentro do prédio onde funciona a produtora do Porta dos Fundos, no Humaitá, Zona Sul do Rio de Janeiro. De acordo com a acusação, ele teria assumido, com a ação, o risco de matar o vigilante do local, que se encontrava na portaria do edifício no momento do ocorrido, no dia 24 de dezembro de 2019. Na decisão, foi decretada ainda a prisão preventiva de E.F..  

Segundo a denúncia, pelo fato de a porta de acesso ao edifício ser de vidro, o vigilante poderia ser visto pelo lado externo. Para o Ministério Público, a vítima só não morreu porque teve pronta reação, conseguindo controlar o incêndio causado e fugir do imóvel, mesmo a portaria sendo pequena, com apenas uma saída.  

De acordo com a decisão, o delito foi praticado por motivo fútil, por ter ocorrido discordância em relação ao material artístico “Episódio de Natal” produzido pela produtora. Para o juiz Alexandre Abrahão, da 3ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, há indícios mínimos de autoria com base no relato da vítima e de testemunhas, assim como há risco à garantia da ordem pública caso o acusado seja mantido em liberdade.  
Processo nº 0349733-87.2019.8.19.0001