Poder Judiciário

Importação irregular de cabelo é alvo de operação autorizada pela Justiça Federal

Da Redação com informações da JFPR. - terça, 10 de novembro de 2020
 

Com o propósito de desarticular um grupo criminoso especializado em realizar importação irregular de cabelos, a Justiça Federal autorizou, na manhã desta terça-feira (10/11), o cumprimento de ordens judiciais para desmontar a facção que revendia o produto em território nacional. 

Os sete mandados de busca e apreensão foram expedidas pela 14ª Vara Federal de Curitiba e foram cumpridos em Foz do Iguaçu e Curitiba, no Paraná, e São Paulo e Araçatuba, no estado de São Paulo. Os investigados irão responder pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e operação irregular de instituição financeira.

Segundo a PF, as investigações tiveram como foco um grupo criminoso, parte dele composto por pessoas de origem indiana, voltado a realizar importação irregular de cabelos humanos. A mercadoria, quando não era subfaturada por meio de processo de importação realizada por empresas brasileiras, era irregularmente internalizada por meio da fronteira com o Paraguai. 

A introdução da mercadoria se dava por meio da supressão parcial ou total de tributos que incidiam na operação de importação (crime de descaminho). 

Percebeu-se que as pessoas interessadas em adquirir essas mercadorias (clientes brasileiros que trabalham com o comércio de cabelos humanos) realizavam os respectivos pagamentos por meio de contas bancárias tituladas por interpostas pessoas.

Por sua vez, para que o grupo criminoso conseguisse realizar o pagamento de seus fornecedores estabelecidos no estrangeiro, os reais recebidos no Brasil eram então convertidos em dólares. A conversão em moeda estrangeira ocorria com a remessa física de reais em espécie para o Paraguai ou por meio de contato com algum operador financeiro, que disponibilizava o contravalor via sistema internacional de compensação paralelo, sem registro nos órgãos oficiais, conhecido por dólar-cabo.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Polícia Federal em Foz do Iguaçu.