Geral

MD desmente portal Metrópoles e diz que militares não recebem auxílio alimentação

Da Redação com informações do CCOMSOD. - quinta, 28 de janeiro de 2021
 

CEO Editor Ronaldo Nóbrega 
Justiça Em Foco

O Ministério da Defesa (MD) esclarece que os dados apresentados recentemente em matéria do portal Metrópoles estão amplamente equivocados, especialmente no que se refere aos gastos de alimentação das Forças Armadas, tendo levado outros veículos de imprensa e o público em geral à grande desinformação.

Inicialmente, ao contrário do que apresentou o referido portal, as Forças Armadas mantiveram, em 2020, o mesmo patamar de gastos com gêneros alimentícios de 2019, conforme dados do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (SIAFI), mesmo com um aumento de cerca de 14% no valor dos alimentos no mesmo período (IPC-FGV).

Tais gastos, conforme já esclarecido anteriormente, constituem obrigação prevista em lei, sendo destinados à alimentação de um efetivo de 370 mil militares da ativa, em 1.600 organizações militares por todo o País. Ao contrário dos civis, os militares não recebem qualquer auxílio alimentação.

Os valores divulgados em relação a dois itens, que têm tido ampla repercussão – leite condensado e goma de mascar – também estão absolutamente equivocados. Os valores efetivamente gastos são muito inferiores aos que vêm sendo divulgados.

Em relação ao leite condensado, o valor total gasto pelas Forças Armadas, em 2020, foi de R$ 1.784.617,64, ou seja, 0,2% do total de gastos com gêneros alimentícios.

Em relação a gomas de mascar, o valor total gasto pelas Forças Armadas, em 2020, foi de R$104.928,41, ou seja, 0,01% do total de gastos com gêneros alimentícios.

Ressalta-se que, o leite condensado, por suas características de valor energético e longa conservação, é tradicionalmente utilizado na alimentação das tropas no campo há quase um século. As gomas de mascar também possuem antiga utilização pelas tropas, ajudando na higiene bucal, quando na impossibilidade de escovação apropriada, sendo também utilizada para aliviar as variações de pressão durante a atividade aérea.

O MD esclarece, ainda, que existe sempre significativa diferença entre processos de licitação e a compra efetivamente realizada, cuja efetiva aquisição é concretizada conforme a real necessidade da administração. Assim, é imprescindível que se faça essa segmentação adequada, quando se faz a totalização dos valores, interpretação e principalmente a divulgação pública destes dados, de modo a evitar a desinformação.

Em suma, os valores gastos com alimentação pelas Forças Armadas, em 2020, estão compatíveis com as atividades desempenhadas e com os realizados nos anos anteriores, tendo inclusive representado economia em relação à 2019.