Educação

Doutoranda da UFSC conquista prêmio com projeto sobre a Covid-19

[email protected] | MEC - quinta, 27 de maio de 2021
 

Universidade Federal de Santa Catarina conta com mais de 106 projetos ativos voltados ao combate à pandemia

Franciele de Matos Morawski, doutoranda da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), venceu o prêmio Tech Women Paper Contest, que estimula e conecta pesquisadoras, empresas e investidores, buscando dar destaque às mulheres pesquisadoras e encorajar outras mulheres à pesquisa para o avanço da ciência e tecnologia no Brasil e no mundo.

O projeto de Franciele visava, inicialmente, determinar a presença da proteína interleucina-6 no sangue como um marcador inflamatório para verificar a presença de alguns tipos de cânceres. Com o surgimento da pandemia, o projeto teve seu foco redirecionado para a determinação da interleucina-6 em amostras de pacientes que já haviam sido infectados com a Covid-19.

A doutoranda, que é Mestre em Química pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, já trabalhava com o desenvolvimento de novos materiais aplicados para sensores eletroquímicos, e procurou o grupo da professora Cristiane Jost, que também trabalha com esse tipo de dispositivo, para o desenvolvimento deste projeto.

A orientadora do grupo de pesquisa "Ampere – Laboratório de Plataformas Eletroquímicas" da UFSC, Cristiane Jost, afirma que o objetivo do grupo é desenvolver métodos rápidos, de baixo custo e de fácil acesso. "De um projeto direcionado a um marcador de câncer em 2018, nós mudamos a proposta para auxiliar no diagnóstico da Covid-19. Em meio à pandemia, o nosso projeto foi adaptado e as atividades de pesquisa foram intensificadas", conta a orientadora.

Franciele afirma que agora, após a conquista do prêmio, o próximo passo é avançar no projeto e conseguir uma captação de recursos maior. "Nós estamos procurando parceiros junto à iniciativa privada para tentar criar uma startup e poder tirar, de fato, a ideia só de um protótipo e conseguir escalar", destaca a doutoranda. 

Universidade Federal de Santa Catarina

A UFSC oferece diversas atividades de ensino, pesquisa, extensão e inovação. Com a pandemia de Covid-19, a Universidade teve que adaptar suas rotinas e procedimentos de trabalho, mas continuou a produzir ciência e conhecimento para o benefício de toda a sociedade.

A professora Maique Weber Biavatti, Superintendente de Projetos, que falou em nome da UFSC, afirma que, desde o início da pandemia, o setor de pesquisa se intensificou. "Os pesquisadores são aquelas pessoas que são mordidas pelo bichinho da pergunta. A Universidade tem diversos projetos de pesquisa ativos nesse campo da Covid-19. Exatamente como aconteceu com a doutoranda premiada, os pesquisadores voltaram suas atividades para promover soluções para a Covid-19", afirma Maique.

Cris Jost reforçou a importância da estrutura da UFSC no desenvolvimento de projetos voltados ao combate à Covid-19. "As atividades de pesquisa foram intensificadas, o que só foi possibilitado pela excelente estrutura da Universidade". A UFSC tem, atualmente, 106 projetos ativos com as palavras-chave coronavírus, Covid, pandemia e SARS-CoV-2.

A Universidade também criou, recentemente, o Prêmio Mulheres na Ciência, com o propósito de estimular, valorizar e dar visibilidade às mulheres da UFSC que fazem pesquisas científicas, tecnológicas e inovadoras. As inscrições para a 1ª edição do Prêmio já estão abertas e se estenderão até o dia 08 de junho deste ano.