OAB & CIA

Justiça do trabalho começa a julgar danos morais por morte de Covid-19

[email protected] - quinta, 10 de junho de 2021
 

Desde o início da pandemia de Covid-19, o trauma pela perda da convivência com entes queridos tem levado milhares de famílias em busca de ressarcimentos por via judicial. Aos poucos, a primeira instância, especialmente a da Justiça do Trabalho, começa a tornar públicas decisões. Na mais recente, família de vítima da doença teve negada a pretensão de obter danos morais da empresa prestadora de serviços de vigilância de canteiro de obras de importante construtora da Grande São Paulo. A sentença da juíza da 23ª Vara da Justiça do Trabalho esclarece não haver nexo de casualidade entre a morte do funcionário e suas funções laborais julgando improcedente os pedidos decorrentes de danos morais e materiais.

- Conforme demonstrado por perícia judicial, as empresas já seguiam e permanecem seguindo todos os protocolos sanitários, esclarece Leonardo Jubilut, advogado da construtora e titular de Jubilut Advogados.

A parte autora da ação obteve direito à gratuidade e os custos da ação serão cobertos pela União Federal.