OAB & CIA

73% dos advogados não sabem em quem votar para presidente da OAB-DF, diz pesquisa

[email protected] - quinta, 10 de junho de 2021
 

Entre os dias 5 e 13 de maio, a Conectar Pesquisas e Inteligência realizou uma pesquisa com advogados de Brasília acerca de suas expectativas para as eleições da seccional do Distrito Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF). 

A pesquisa, espontânea, apontou que 73% dos entrevistados não sabiam em quem votar, ou não souberam responder sobre suas intenções de voto. Com isso, tem-se o reflexo da distância sentida pelos advogados quanto a sua entidade de classe. Durante a pandemia, não houve organização de assistência alguma aos advogados, os quais passaram por diversas dificuldades em razão da crise econômica e virtualização do trabalho. 

Exemplo claro, desse cenário, é o silêncio da atual gestão, quando o advogado, Guilherme Campelo, em abril de 2020 – quando ainda não era pré-candidato, solicitou a suspensão de uma parcela da anuidade da Ordem, para aliviar financeiramente os advogados(as) diante da grave situação. Após ser ignorado por um ano, Guilherme Campello obteve resposta em 2021. A Tesouraria da OAB-DF alegou que: “falta de legitimidade ativa do ora Requerente para representar ou pleitear em nome de "todos(as) os advogados(as) inscritos regularmente nesta Seccional", uma vez que não exerce cargo ou função com poderes para tanto. [...] No mérito, razão não lhe assiste, até porque sequer ofereceu alegações jurídicas que poderiam fundamentar seu pleito”.

Guilherme Campelo

Procurado pelo portal, Justiça em Foco, para falar sobre a pesquisa - eleições da seccional OAB-DF, o advogado Campelo respondeu o seguinte:

“73% dos advogados e advogadas não sabem em quem votar, mostra uma falha grave, na gestão atual da OAB-DF, em especial a da nossa Caixa de Assistência dos Advogados do Distrito Federal (CAADF). Vejo, também, a pesquisa como um ensinamento, que a CAADF deve atentar para suas responsabilidades de promoção e proteção. Vivemos atualmente um momento que é fundamental pensar criticamente, analisar os problemas da classe e de procurar soluções para os mesmos”, disse o pré-candidato à presidência da OAB-DF Guilherme Campelo.