Educação

Capitão Davi concorda com declaração de Alexandre Garcia sobre ensino militar

[email protected] | - terça, 17 de agosto de 2021
 

 Alexandre Garcia, comentarista do programa Liberdade de Opinião, da CNN, foi questionado sobre a seguinte declaração do ex-presidente Lula: “As forças armadas existem para defender a soberania contra possíveis inimigos internos (...) não têm que se meter em política.” 

Em primeiro lugar, Garcia destacou a falha de Lula, pois, de acordo com a Constituição, as forças armadas devem defender a pátria e garantir os poderes constitucionais. Certamente, a declaração do petista não levou em conta a legislação brasileira. 

Depois, Alexandre lembrou que os militares (com exceção dos recrutas) votam, portanto, devem ser cidadãos politizados, mesmo sem poder manter sua atividade caso desejem filiação a partido político. “Se ele não for politizado, vira um robô. A politização do militar não é de partido político, (...) o grande partido político do militar é o Brasil, a pátria, os valores, a honra, o respeito. Isso não é política”, destacou.

Ainda, comentou sobre a integridade do ensino militar: “O governo de Fernando Henrique e os governos petistas, principalmente, conseguiram mexer nas universidades federais, aparelhá-las. Mas, não conseguiram entrar nas escolas militares; continuam com esses mesmos valores: defesa da pátria, da lei, da ordem, das instituições, da democracia e da liberdade”.

Com isso, o presidente da ABEMIL – Associação Brasileira de Educação Cívico-Militar, Capitão Davi, concordou com a fala: “Alexandre Garcia declarou bem o motivo de lutarmos tanto pelo avanço desse tipo de ensino no Brasil. Queremos difundir esses valores, que não são partidários, são brasileiros. Por exemplo, em nossos colégios, ao invés do professor esperar os alunos em sala, os estudantes é que aguardam o docente”. A associação oferece apoio a instituições de ensino básico que querem adotar aspectos da disciplina militar em escolas civis.