OAB & CIA

ELEIÇÃO OAB/DF: Novidades de Respeito na Representatividade

[email protected] | Asscom. - sábado, 18 de setembro de 2021
 

O período de pré-campanha da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional do Distrito Federal e suas Subseções, trouxe boas novidades ao quadro de futuros concorrentes aos postos de gestão da Advocacia local. Uma dessas novidades é a Drª Mariana Dias, pré-candidata ao cargo de Presidente da Subseção Riacho Fundo I, Riacho Fundo II e Recanto das Emas, a subseção mais nova dentre as treze existentes.

Apesar da pouca idade, a advogada já atua em grandes casos da seara Penal no Distrito Federal e em Estados do Sudeste e Nordeste. pós-graduada em Direito Penal, Processo Penal e Empresarial pela Escola da Magistratura do Distrito Federal, além de Direito Público e Privado pela UNIJUR. Na representatividade de Classe, faz parte da Associação Brasileira de Advogados – ABA, já tendo atuado como Secretária Geral da Comissão Nacional de Direito Penal responsável pela pauta dos assuntos penitenciários no âmbito do Distrito Federal.  

Como a Drª, militando na seara Penal, enxerga o atual cenário da Advocacia local?

Como a maioria dos colegas do Distrito Federal que atuam de forma autônoma, me identifico com todos que tiveram dificuldades em diversos momentos durante o período de pandemia sanitária. Houve um nítido e perigoso empobrecimento (no sentido econômico) da nossa Classe. Diversos colegas relatam terem deixado a Advocacia de lado para atuar em funções alheias ao Direito, tudo para manter em dia seus compromissos financeiros e garantir o sustento de suas famílias. E para todos estes eu sempre pergunto o mesmo: “o que a OAB/DF fez de efetivo para auxiliá-lo(a)? A resposta é geralmente um sonoro NADA”.

Atrelada à falta de apoio Institucional da OAB, veio também os ataques às Prerrogativas dos Advogados. Com novos protocolos de atendimento, órgãos governamentais, principalmente os relacionados à Segurança Pública, adotaram formas de tratamento quase que desumanas, seja com os cidadãos diretamente envolvidos em alguma questão jurídico-administrativa, seja seus constituídos, ignorando a ideia da indispensabilidade do advogado no ordenamento jurídico pátrio. Por tais razões, buscar mudar o atual cenário é imprescindível para a retomada da valorização da nossa profissão!    

Como é ser mulher na Advocacia militante?

Apesar de hoje as mulheres representarem maioria numérica no registro de inscritos na Ordem dos Advogados do Brasil, isto não reflete, em absoluto, no quantitativo de Advogadas gestoras nas Seccionais e Subseções por todo o território Nacional. Para se ter uma ideia, em quase um século de OAB, apenas três mulheres tiveram o privilégio de serem conduzidas ao posto de Presidente de Seccional, com destaque para nossa eterna Presidente da OAB/DF, Drª Estefânia Viveiros.

Nas eleições de 2018 para o triênio 2019/2021, apenas duas candidatas se sagraram vitoriosas em todas as então onze Subseções do Distrito Federal. Hoje, em discursos de convencimento, estamos ouvindo muito o termo “CO-PRESIDENTE” para referências às vice-presidentes eleitas em chapas compostas, em sua maioria, por homens (e tendo eles como cabeças de chapas). Acredito ser uma forma de maquiar ou atenuar esse quadro de profundo distanciamento representativo.

É neste cenário de grandes desafios, tanto estruturais quanto culturais, que ao lado de vários colegas com propósito bem definido – devolver o RESPEITO que nossa OAB deixou esvaziar nos últimos anos – decidimos marchar com a Drª Thais Riedel e o Movimento Respeito é a Ordem.

Em relação à Subseção? Como está sendo a pré-campanha?

Então, em novembro teremos eleições para escolha de uma nova gestão tanto para a Seccional quanto para as treze Subseções do DF (triênio 22/24). Com a criação este ano, da Subseção Riacho Fundo I, II e Recanto das Emas, teremos a oportunidade de eleger, pela primeira vez, a Diretoria da nossa Subseção (foi criada em fevereiro deste ano e teve um presidente escolhido sem votos).

Ao lançarmos nosso nome para uma pré-candidatura, houve de tudo, primeiro o questionamento de quem seria Mariana Dias. Logo depois, muitos ataques e fake news surgiram, quase que na sua totalidade em um blog subterrâneo, contra mim e também contra advogados que declararam apoio ao nosso Movimento naquela Subseção. Tudo isto foi sendo superado com trabalho e muito olho no olho dos colegas das três cidades que compõem a nossa Subseção.  

É importante que o colega residente ou que possua domicílio laboral em uma das três cidades que compõem nossa Subseção, proceda com a habilitação junto à OAB/DF transferindo seu domicílio eleitoral para lá, fortalecendo assim a representatividade local. Importante lembrar que este ano o pleito será on-line, apesar de até o momento não haver nenhuma informação oficial da OAB/DF acerca de qual empresa ficará responsável pelas eleições.